O Fig Redes e Parceiros

O FIG afirma-se, também, enquanto espaço de troca de experiências e de metodologias de trabalho. Neste sentido, desde a sua 3ª edição, o festival realiza-se em parceria com outros agentes culturais, o que tem permitido a sua evolução e crescimento.

Em 2006, a parceria alargou-se e, além do Bardoada – Grupo do Sarrafo, do ATA – Acção Teatral Artimanha e da Associação Juvenil COI, o FIG passou a contar com um novo parceiro, a cooperativa PIA – Projectos de Intervenção Artística.

O FIG integra, como membro fundador, a Rede Internacional de Festivais de Cultura Popular, que conta também com o Mediterrània – Fira d’Espectacles d’Arrel Tradicional (Manresa, Catalunha), o Folkermesse (Piemonte, Itália), o Açor (Ilha dos Açores), o Festival Nordestino de Teatro de Guaramiranga (Guaramiranga, Brasil) e o L’Estivada (Rodez, França). A Rede resulta da afinidade com diferentes promotores de Festivais de difusão de Cultura Popular e Tradicional, e tem permitido a circulação de produtos artísticos de cada um dos países, intercâmbios, promoção de encontros/seminários e co-produções com as comunidades artísticas do universo da rede. A sua primeira co-produção, “Tambores das Nações”, (apresentada ao público na Fira Mediterrània de Manresa, em Novembro de 2006 no FIG e San Marino, em 2007) é um espectáculo produzido por 3 festivais, contando com a participação portuguesa do Bardoada.

É com passos de gigante que o FIG tem vindo a crescer de edição para edição, contando com apoios de entidades regionais como a Região de Turismo, a Junta de Freguesia de Pinhal Novo e o Governo Civil de Setúbal, com parceiros associados como a Generalitat da Cataluña, a ADREPES e a Universidade Nova de Lisboa-IELT (Instituto de Literatura Tradicional) e com um número crescente de patrocinadores.

 

Sobre os Parceiros

 

Bardoada – Grupo do Sarrafo

O Bardoada nasceu em 1997, na sequência de uma acção de formação em percussão, promovida pela Câmara de Palmela, com Rui Júnior, fundador dos Tocárufar. Da formação surgiu a vontade de avançar com um projecto mais sério e a estreia aconteceu no FIG, em 1997. Dez anos depois, o Bardoada é presença indispensável nas iniciativas concelhias e regionais e tem viajado pelo mundo, para apresentar todo o seu ritmo e boa disposição. A escola de percussão “Bardoadinha” surgiu em 2001 e tem iniciado dezenas de crianças e jovens nas bases da percussão tradicional portuguesa.
http://www.bardoada.com

ATA –Acção Teatral Artimanha

Com 26 anos de actividade, o ATA – Acção Teatral Artimanha é um dos grupos do concelho que tem conseguido renovar-se através de novas gerações de jovens com gosto pelo teatro. Parceiro habitual do FIG e de outras iniciativas, no âmbito do Programa Municipal de Teatro, o ATA mantém uma actividade de grande dinamismo, com estreias regulares e digressões por todo o país.
http://teatroartimanha.blogspot.com

Associação Juvenil COI

A AJCOI é um exemplo da força do associativismo juvenil e conta, hoje, com cerca de 550 sócios e 19 anos de existência. Com áreas de intervenção que vão desde a fotografia à música, passando pela sonoplastia, multimédia e BD, a história da AJ começou na continuidade do COI – Centro de Ocupação Infantil de Pinhal Novo, que pretendia criar um espaço que permitisse aos jovens, já sem idade para frequentar o centro, continuarem ligados à instituição. A música foi, desde sempre, uma das principais vocações, que levou à parceria com a Câmara Municipal para a criação do Concurso de Música Moderna de Palmela. Hoje, a AJCOI está mais dinâmica do que nunca e tem novas áreas de intervenção, como o estúdio de sonoplastia para gravação de maquetas e ensaio de bandas, e a aposta forte na Banda Desenhada. Os intercâmbios, a cooperação internacional e o Serviço Voluntário Europeu também fazem parte do plano de actividades da associação.
http://www.ajcoi.org

PIA – Projectos de Intervenção Artística

Aberta a todas as formas de intervenção artística, a cooperativa PIA continua a afirmar-se no panorama cultural do concelho de Palmela. Sediado em Pinhal Novo este grupo de jovens artistas foi sempre uma presença assídua do FIG, tendo, a partir de 2006, passado a integrar os parceiros do Festival. Sempre bastante activa junta de diversos públicos – em especial, do público escolar – a cooperativa PIA nasceu no início do milénio, da formalização do grupo Moad Dib. A constituição da cooperativa veio trazer objectivos mais concretos e permitir a parceria com organismos públicos e privados, no desenvolvimento de projectos em áreas como a educação e a pedagogia, o teatro ou a performance.
http://www.piacrl.com